Produtividade para quê?
Share



O que se costuma chamar por aí de “ferramentas de produtividade”, muitas vezes é só um monte de regras e esquemas para atormentar de culpa grande parte das pessoas. Pronto, falei!

“Mas, Juliana, por que você está sendo tão radical?”

Então, me explico: mais importante que estar “ferramentado” é saber para que você vai usar essas ferramentas. Ok, você tem metodologias para fazer listas X e Y, pastas para catalogar cada assunto, tabelas e códigos, mas o que vai ser de fato produzido a partir de tudo isso – e que vá realmente além das próprias tabelas, listas, pastas, metodologias? Ferramentas de produtividade só são efetivas se elas te apoiam a produzir algo. E você só será capaz de produzir algo se tem um objetivo em mente – que pode ser escrever um livro, lançar um produto em que você acredita, concluir uma etapa de sua vida, abrir espaço para um novo ciclo, enfim. Qual é o seu horizonte? Aonde você quer chegar? Quais são seus grandes projetos? Grandes projetos são os importantes e essenciais para você.

Definido isso, puxa, sou super a favor de criar meios de organizar nossas confusões internas, inventar maneiras criativas de registrar e acompanhar nossos avanços! Já escrevi sobre como fazer uma agenda semanal dividindo o todo em partes, já compartilhei com você como fazer uma leitura de maneira prática e criativa, tudo isso gerando registros, ganhando tempo e produtividade. ; ) Quem me acompanha por aqui sabe, inclusive, que adoro ferramentas para mapear ideias.

Dentro desses métodos de produtividade que podem facilitar nossa vida se tivermos um propósito,  está o Pomodoro Technique. Conhece? Em suma, bem resumido mesmo: a técnica do Pomodoro consiste em dividir seu tempo em blocos, alternando entre momentos de total foco nas suas atividades e um tempo para descanso. São 25 minutos de concentração em sua tarefa seguidos de 10 minutos de tempo de descanso – onde você pode fazer qualquer outra coisa não relacionada à tarefa, como esticar as pernas, tomar um chá, ler e-mails, etc. O grande barato do Pomodoro é permitir que você se foque ao máximo, aproveitando o poder que isso confere ao seu cérebro em estado de concentração. E você ainda pode responder àquela voz interna que insiste que você pare tudo para dar uma espiadinha no seu Facebook, com uma resposta simples e plausível: “Daqui a pouco vou ter meu tempo de pausa e posso olhar meu facebook à vontade, agora meu foco é outro”. Olha que beleza!

Para quem conhece a técnica, já deve ter visto por aí um reloginho do Pomodoro Technique, com o qual você consegue programar seus blocos. Já existem aplicativos e programas que podem fazer isso por você, é possível que você também programe o alarme do seu celular. Mas o tomatinho é coisa linda, né? A gente pode encontrar aqui nas terras tupiniquins com a Mozino – que aliás tem um arsenal super bacana para nossas mentes criativas e multipotenciais se organizarem. Eles enviaram uma caixa recheada de coisas lindas para mim e o tomatinho veio junto! A Mozino disponibiliza também um manual online com as explicações sobre o método, a história, porque se chama Pomodoro e o símbolo é um tomate (!), porque raios os blocos são de 25 minutos, como utilizar a técnica da melhor maneira possível, etc. (Veja mais no site oficial do Pomodoro Technique e um resumo em português na Wikipedia)

Particularmente, gosto de usar o Pomodoro quando tenho projetos específicos para desenvolver. Como produzir uma leva de artigos, me focar na escrita de um livro, enfim. Não o utilizo em todas as tarefas cotidianas, porque não acho que todas elas se encaixem dentro desses blocos com tempo contado. Às vezes aumento os períodos também, por sentir que estou em fluxo e posso aproveitar um pouco mais, com uma pausa maior para me recompor depois. Mas sempre uso essa lógica que o método ensina e os resultados são muito bons: foco total, períodos de levar a cabeça para respirar, me esticar, tomar uma água, voltar para o foco e por aí vai.

Outra coisa que apoia muito, e já falei em meu artigo sobre a agenda semanal, é dividir o todo em partes. Ou seja, pense no seus projetos maiores, divida em partes menores como metas mensais e semanais, depois defina o que vai ser realizado nas pequenas tarefas cotidianas para você alcançar seu objetivo. Os grandes objetivos ficam, assim, mais acessíveis e próximos da sua realidade dia a dia. Isso nos apoia também a não ficar só no esquema das urgências e demandas externas, apagando incêndios aqui e ali. Orientar-se a cada dia para a realização do que é verdadeiramente significativo para você, seus sonhos e sua sensação de estar cumprindo a sua parte  para construir a vida que você quer levar.

A Mozino tem várias ferramentas para ajudar nisso. Destaco aqui duas delas:  “to do today”, um bloquinho para você fazer sua lista de tarefas a cada dia, e uma prancheta plástica em que você pode escrever e apagar quantas vezes quiser, você pode fazer listas, levar para reuniões, registrar ideias… Sim, a gente poderia escrever num lugar qualquer, mas quem tem um fraco por itens fofos de papelaria vai me entender! Para que fazer tudo numa folha branca e fria, se posso me cercar de post-its, canetas coloridas, elementos criativos e ainda rabiscar algumas ideias em uma folha pontilhada (como o espaço na parte de baixo da “to do list”)? Quem me entende, levante a mão!

 

Mas digo e repito: tudo isso só ajuda mesmo se você tem um objetivo maior, um projeto com significado a ser desenvolvido. Senão, você vai ser só um exímio fazedor de coisas – E SÓ ISSO.

Quero que você seja muito mais que isso. Que você seja um realizador de sonhos, uma pessoa produtiva que produz aquilo que sonha e coloca a mão na massa para fazer acontecer aquilo em que acredita!

Conta para mim, quais elementos desse artigo fizeram a diferença para você?

 

p.s: Ah, isso não é um publieditorial! Eu procurei o Fernando Neves da Mozino e disse: “cara, preciso apresentar seus produtos para meu público! São muito bacanas!” E então, ele inesperadamente me disse: “escolha o que quiser e eu mando para você”. Aqui estou eu, apaixonada pelos produtos e apresentando para você somente porque vejo potencial nisso tudo para lhe inspirar em seu cotidiano. Depois vou apresentar mais coisas de lá. Mas se quiser conhecer a loja dele, dê uma olhada e vê se não tenho razão de achar um barato!

Site da Mozino

Imagens: fotografias feitas por mim

 


 

Comentários